fbpx

Quais as áreas de mais impacto econômico com o coronavírus?

AUTOR Joyce Rocha / Data 19 março, 2020 / Categoria: Empreendedorismo, Estratégias, Marketing Digital, Notícias

Saiba mais sobre os impactos econômicos causados pelo Coronavírus

A pandemia de coronavírus vêm provocando abalos nos mercados globais, nas cadeias de suprimentos e na atividade econômica como um todo, elevando assim o risco de um retrocesso. Veja aqui quais as áreas de mais impacto econômico com o coronavírus.

O surto de Covid-19 já matou mais de 1,1 mil pessoas na China e infectou mais de 40 mil. Médicos e cientistas do mundo tentam a todo instante entender melhor sobre o vírus e buscam meios para controlar a disseminação acelerada da nova doença.

Além disso, o avanço da Covid-19 tem colocado diversas regiões do país em quarentena e confinamento, estamos vendo em noticiários que diversos países estão fechando as fronteiras e decidindo ampliar as medidas restritivas para tentar frear a disseminação da doença e minimizar os impactos na economia.

É visto que o maior número de casos confirmados ainda está concentrado na China. Mas a Europa vem se tornando o novo epicentro do coronavírus, com países como Itália, Espanha e França impondo quarentena nacional à toda população.

A economia do país está paralisada, pois além dos impactos nos mercados e no comércio global, com interrupções de produção nas indústrias e cancelamentos de grandes eventos, a pandemia tem levado governos a determinar o fechamento de lojas e serviços, a suspensão de aulas em creches e universidades, tudo para que a população fique dentro de casa.

Na China, onde a doença teve início, foi necessário o fechamento de fábricas e centros comerciais e deixou a população presa em suas casas por medo do contágio, reduzindo de forma drástica o consumo e a produção industrial.

No Brasil as medidas começam a ser tomadas, e as restrições de pessoas circulando nas ruas e escolas entraram em vigor nesta segunda – 16 de março 2020.

As viagens aéreas, feiras internacionais e grandes eventos e shows estão sendo cancelados pelo mundo todo. Nos Estados Unidos por exemplo, o Festival Coachella que ocorreria em abril na California, foi adiado para outubro, além disso as grandes estreias de filmes também estão sendo canceladas.

Impacto na Bolsa de valores

O Impacto do Coronavírus na Bolsa de Valores

Além dos impactos na vida dos cidadãos, a Covid-19 tem provocado perdas históricas na Bolsa de Valores. Nos Estados Unidos, as perdas anuais das empresas já ultrapassam U$$ 5 trilhões. No mundo todo, estima-se aproximadamente U$$ 14 trilhões em valor de mercado perdidos, e até ativos seguros, como o ouro, estão sendo vendidos para compensar as perdas.

As empresas têm projetado lucros menores, pois em meio a tensão mundial, a Apple, Microsoft, United Airlines, Toyota e outras passaram a alertar seus acionistas que o surto afetará seus resultados.

Segundo o site G1 e pesquisa feita pela Focus do Banco Central, o mercado brasileiro reduziu para 1,68% a previsão de alta do PIB em 2020.

Esta grande epidemia pode provocar comportamentos de precaução na população, como diminuição de viagens, reduções de jornada de trabalho e ainda adoção de home-office.

Setor Automotivo com diminuição de rentabilidade

Com relação ao setor automotivo, haverá diminuição nas margens de rentabilidade por conta de cessão e aumento do dólar. A região de Hubei, epicentro do surto de coronavírus, é um importante polo automotivo da China. A cidade de Wuhan, localizada na província, está em quarentena há mais de três semanas. Além dela, mais de dez outras cidades estão na mesma situação – com comércio, escolas e fábricas fechadas, uma tentativa de controlar o surto.

No caso específico do Brasil, as empresas do setor já estão com as margens de rentabilidade apertadas por conta da recessão e, com o aumento do dólar, enfrentam um aumento de custo de insumos importados.

A exportação de alimentos

Já pensando no lado da exportação, principalmente em questões de alimentos. Contudo as cotações da soja, do petróleo e do minério de ferro vêm acumulando queda desde que os primeiros casos da doença foram confirmados.

A soja representa cerca de 30% de tudo o que o Brasil exporta para a China, seguido de petróleo (24%) e minério de ferro (21%).

O ministro da Economia, Paulo Guedes, afirmou que o governo está monitorando os setores que serão afetados pela crise causada pelo novo coronavírus.

Mantenha-se informado e faça a sua parte, evite sair de casa, mantenha as mãos sempre limpas e higienizadas, evite contato com pessoas que estejam com suspeita do vírus e/ou que estejam no grupo de risco.

Em nosso blog disponibilizaremos mais informações para ajudar você e a sua empresa a vencerem esta crise.

 

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *